dinheiro estrangeiroBalança comercial, em seu sentido estrito, é a diferença entre o valor de exportações e importações de um país. A balança comercial não usa como referência quantidades dos produtos que entram e saem do país, mas sim seus valores, isto é, o valor conseguido com as vendas (exportações) menos o valor gasto nas compras (importações) de um país. A intenção é que sempre haja um lucro, ou seja, que o valor das exportações sejam maiores do que os das importações. Nesse caso, houve um superávit. Caso ocorra o contrário, ou seja, que as importações tenham tido valor maior que as exportações, recebe o nome de déficit.

A balança comercial teve seus primeiros princípios implementados no mercantilismo. Era um conjunto de práticas econômicas que se baseava no mercado externo para crescer economicamente. Já no mercantilismo, especialmente no Colbertismo (uma das três “correntes” existentes dentro do mercantilismo), já havia a ideia de sempre buscar um valor maior de exportações do que o valor das importações. Para isso, criaram-se mecanismos que até hoje se são usados para buscar uma balança comercial favorável (com superávit).

Práticas como as barreiras alfandegárias, impostos sobre produtos importados e protecionismo às empresas nacionais são heranças francesas desse movimento. Muitos outros fatores influenciam essa política de exportação e importação: cotação das principais moedas mundiais, alta ou baixa no preço do produto em questão, poderio de produção desse produto, etc.

As medidas que visam dificultar importações são usadas há muito tempo, mas no mercado globalizado que temos hoje, elas estão, em parte, atrapalhando a população de seu país. Isso porque, com a globalização, existem países que já têm itens e marcas estrangeiras inseridos na cultura de consumo local. Itens populares mundialmente sofrem impostos que fazem com que cheguem com um preço mais alto para a população. Sendo assim, um produto comprado em seu país de origem tem um valor muito menor do que o mesmo produto quando importado. Se o item que estamos falando são, por exemplo, carros, motos, aparelhos de TV e outros itens que não são da cultura do nacional produzir, esses impostos têm um efeito negativo na compra dos habitantes do país.

Visando “fugir” dessas barreiras e empecilhos de exportação, países chegaram a nossa atual realidade de blocos econômicos. São uniões de países, vizinhos ou não, que estabelecem taxas de impostos e barreiras alfandegárias bem menores para os seus integrantes. Isso visa estabelecer um integração maior com outros países, além de ter a oportunidade de desfrutar de bens que, muitas vezes, só podem ser obtidos em outros países. Nesses casos, os efeitos da balança comercial são levados em consideração na hora de estabelecer contratos de bloco econômicos.

Sendo assim, a balança comercial é uma espécie de “termômetro” da economia, que mostra em que nível de produção o país está. É também um valor interessantes para traçar melhores caminhos, a fim de que o país possa se tornar cada vez mais autossuficiente, uma realidade quase impossível por causa do mundo globalizado atualmente.