moedas antigasO PIB ou Produto Interno Bruto de um país é o resultado, em dinheiro, da soma de todos os seus bens matérias, serviços finais. A junção dessa definição de recursos é representada pela palavra Produto. Interno quer dizer que esse valor é utilizado como base somente dos bens e serviços que agem são de dentro do país, estado ou cidade que esteja sendo o alvo do cálculo. São considerados apenas serviços finai, excluindo os serviços intermediários do cálculo, para evitar que se conte duas vezes o mesmo produto. Um serviço intermediário é, por exemplo, o pé de uma geladeira, que mais tarde se torna um produto final (uma geladeira).

Existe um cálculo para se achar o PIB de determinado local.Veja a fórmula:

C + I + G + X – M = PIB

Em que:

C= Consumo Privado ou os gastos da população;

I= Investimentos totais feitos na região;

G= Gastos dos governos;

X= Exportações;

M= Importações.

Há um diferença entre dois modos de PIB: um é chamado de PIB nominal e, o outro, real. O nominal usa os preços dos produtos usados no ano do cálculo. Já no real os preços usados são pré-determinados, a partir da escolha de um ano. Nesse ano são consultados os preços dos produtos a serem levados em conta no cálculo. Esta ultima forma de cálculo, o PIB real, tem a vantagem eliminar os efeitos da inflação. Inflação é um fenômeno econômico que, dentre outras coisas, causa um aumento nos preços de todos os itens comercializados na área que sofre desse fenômeno.

O PIB se configura como um importante dado para diagnosticar o ritmo do crescimento, ou não, de um país. Ele pode mostrar que um determinado local pode estar ganhando ou perdendo patrimônio, riquezas e capacidade de produção. No entanto, apesar de ser amplamente usado para mostrar melhorias ou quedas de rendimento nas áreas pesquisadas, o PIB não pode ser levado em consideração como fator determinante para definir se essa área está melhor economicamente. Isso porque o PIB não leva em consideração vários fatores imprecindíveis que são de suma importância para o desenvolvimento e crescimento de um lugar.

Podemos citar, por exemplo, que o PIB não leva em consideração a distribuição das riquezas de um local, logo, pessoas com muito poder aquisitivo e outras na linha da miséria podem apresentar um PIB melhor que um local onde a maioria tem uma renda média, mas que todos vivem em condições semelhantes. Outros fatores que o PIB não leva em consideração são: atividade informal (sem carteira assinada, sendo que essa é uma área que movimenta muita renda, todos os anos, no mundo), fatores externos (por exemplo, uma praga que acaba com uma safra de muito peso econômico para o país não será levado em conta no PIB, somente o deixará mais baixo), dentre outros. Sendo assim, esse dado serve como um medidor de curto prazo da situação de algum lugar. A longo prazo não é muito usado por apresentar leves variações que podem ser atribuídas a fenômenos passageiros, como por exemplo a fenômenos climáticos que causem prejuízos á área.

O PIB tem ligação com a balança comercial no sentido de que, consequentemente, se uma delas apresenta um superávit, a tendência é que esse local tenha mais recursos. Eles chegam em função do número alto de exportações alto (que também possibilitou uma balança comercial favorável). O caminho inverso também é possível. Um aumento no poder de compra dos habitantes desse local acelera a economia que, em longo prazo, possibilita mais exportações e, assim, uma balança comercial favorável.